Mensagens Aos Jovens

 

RECADO AOS JOVENS
– DIGA NÃO ÀS DROGAS
Marcial Salaverry (68 anos) 

 

Sem dúvida alguma, a juventude hoje está vivendo uma fase um tanto quanto conturbada.

Os contínuos apelos à sensualidade e à sexualidade fartamente explorados pela mídia, fatalmente confundem a cabeça de nossos jovens, que muitas vezes procuram fontes alternativas para buscar estímulo para as fantasias que começam a povoar suas cabeças, e uma dessas fontes, são as drogas que lhes são apresentadas como sendo capazes de dar-lhes mais coragem e disposição para tudo.

Acreditam que poderão vencer as inibições naturais da juventude, usando esses estimulantes. O que pode lhes faltar é uma adequada orientação familiar, porque os pais muitas vezes são liberais demais, achando que os jovens precisam aprender a viver. Mas para aprender, é preciso que limites lhes sejam dados, e é preciso também que haja diálogo, explicando o porque desses limites. Deve ser usada uma espécie de “liberdade vigiada”. Um certo controle sem uma rigidez exagerada.

Mas, sobretudo, muito diálogo. Explicar com paciência e discernimento o que lhes poderá acontecer usando o que não devem. Proibições categóricas não funcionam direito. É melhor usar de um diálogo franco e honesto. Sempre é preciso arranjar tempo para essa conversa, principalmente com filhos adolescentes.

É melhor que eles aprendam as coisas com seriedade, em casa, do que na rua, com alguém que apenas estará interessado em induzi-los ao vício.

“Adote seu filho, antes que um traficante o faça”. Uma frase curta, mas de grande significado.

Se for bem entendida pelos pais, muitos problemas poderão ser evitados.

Aos jovens, um recado interessante, principalmente para aqueles que pensam que usando certos estimulantes, seu desempenho sexual será melhor, mais desinibido. Poderá até ser, no momento,  mas o preço a ser pago, é caro demais. É apenas a vida. E para os rapazes, vai um aviso extra, é meio caminho andado para a impotência sexual. Se sobreviver ao uso, poderá constatar que ficou impotente por ter usado algo para melhorar o desempenho. Sem dúvida, uma cruel ironia do destino.

Os impulsos devem ser mais bem controlados. Se por acaso seus pais não tem um bom diálogo com vocês, procurem ajuda especializada, ou uma orientação adequada. Procurem fazer com que seus pais vejam o que está acontecendo, e da necessidade de um diálogo franco e honesto.

 

O sexo realmente é a explosão do amor. Justamente por isso, deve ser feito com amor, e quando há amor. Nunca busquem o refúgio das drogas, que é um assunto muito sério, e que deverá ser analisado com muito cuidado e atenção, devendo-se sempre procurar ouvir quem pode aconselhar e orientar sobre o assunto.

O futuro é muito belo, a vida é mais bela ainda. Não joguem tudo por terra só por atitudes irrefletidas, por revolta contra os pais, ou mesmo só para satisfazer impulsos de momento.

Vamos pensar seriamente, porque é a vida que está em jogo.

 

PACIÊNCIA E DIÁLOGO
Elio Mollo (59 anos)


Em família, dentro do lar, muitas vezes, a batalha da intolerância de cada um de seus membros, colhe fora as armas da contrariedade com que se digladiarão.

 A impunidade alimenta a fogueira, que transformará em  inferno, o que se criou para ser um paraíso.

 Diferentes são os valores espirituais dos familiares, assim, como são diferentes as épocas em que cada um reencarnou.

 Aos pais cabem o equilíbrio e a harmonia, severos aqui, compreensivos acolá, bondosos mais adiante e, sobretudo procurando ambos dar os bons exemplos.

 Os pais devem se dar conta de que tomar certas posturas diante dos filhos, orientá-los sobre o que o que devem fazer, é justamente do que eles necessitam.

 É necessário que os pais possuam segurança e firmeza na educação que estão usando para instruir os filhos.

 Tudo evolui e os meios de educar também, porém o que acontece normalmente, é que os pais se apegam aos métodos das suas épocas e, os filhos evocam os conceitos de seu tempo, nascendo assim os conflitos. Existindo o exagero em ambos os lados.

 Sendo assim, é preciso estabelecer a ponte do diálogo, os pais devem procurar reunir-se com os filhos e, sem maldade, ironia ou ressentimento, procurando ouvir com atenção o que os filhos desejam. Incentivar os filhos a falarem de si mesmo, do que gostam e do que não gostam, fazendo com que cada um procure expor com honesta sinceridade as razões das suas queixas, sem ofensa alguma; é essencial que se ouça e  medite e depois através de conversas fraternas e muita boa-vontade de cada um, os que  tiverem ouvidos logicamente irão atentar e os que tiverem vontade poderão fazer. Os pais não devem temer os filhos, mas amá-los, a ponto de quando for necessário, corrigi-los com energia. É assim que Deus faz, é isso que espera que os pais façam com os espíritos que confia à sua guarda, na condição de filhos.

Um outro ponto importante é que em muitos lares modernos, seus membros se empenham em trazer de fora, males, para se torturarem mutuamente, entretanto, se apiedam das aflições alheias e não medem esforços para extingui-los ou atenuá-los, é um detalhe que os pais devem estar atentos, pois antes de tudo esse esforço deve primeiro ser aplicado no próprio lar.            

É preciso ensinar os filhos com responsabilidade. Legar valores sociais, morais e religiosos, sem pieguice nem afetação. Pois se desejamos um mundo novo e melhor devemos ensinar aos filhos o respeito, a fidelidade, a honradez.

© 2011 Todos os direitos reservados.

Crie um site gratuitoWebnode